25/12/2011 - Coisas de 2011


 

O fim do ano chega tão rápido que logo vamos ter de inventar o onzembro õ/ 

Eita ano montanha-russa! Altos e baixos, mas sempre passando tão rápido que nem deu pra gastar muito tempo se preocupando com as descidas. Os problemas apareceram, mas apesar disso, não posso dizer que foi um ano difícil. Fiz tantas coisas legais... muitas das expectativas que eu tinha no reveillon de 2010 foram atendidas, assim como as outras necessidades que surgiram durante o ano. Agora não é tipo o fim do mundo, mas nós sempre enxergamos essa data como o encerramento de uma etapa, então acho digno agradecer por tudo que passou e pedir que todos nós possamos chegar ao próximo ano com novas alegrias. 

Até nos problemas a gente consegue encontrar um parecer diferente, que revela alguma situação interessante. Esse ano eu passei uns meses sem internet e fiquei revoltada por conta disso. As coisas mais básicas eu fazia nas lan houses da vida, mas atualizar o blog e responder comentários ficou fora de cogitação. Quando finalmente resolveram o problema, fiquei pensando que meus visitantes mais assíduos não lembrariam do quase morto Strawberry! Como se estivesse voltando de um coma, retomei as atividades aos poucos e a notícia boa foi que alguns lembravam sim, vieram enquanto o blog estava nessa espécie de coma e aguardaram o retorno. Yes, eu faço drama, sou emotiva oks?? A JuJu, a Rafa, Jéssyka, são visitantes de muito, muito tempo! A Marina, Cáh, Monique, Mari Ebert, Camila, Neyara, qputz eu tinha que ficar falando um monte de nomes aqui, só pra mostrar que eu não esqueci de nenhum! E tem ainda as pessoas que eu conheci esse ano, depois das férias forçadas. Claro que adorei ter conhecido! São todos blogs de donos que amam o que fazem, que se dedicam e a gente vê. 

Nos últimos meses eu implantei os Favoritos, uma página só de coisas que eu quisesse recomendar, fossem blogs ou outros itens. Agora eu quero destacar não só o favorito do mês, mas um blog que eu acompanhei e que me acompanhou o ano todo. A proprietária deste valioso blog é sempre muito expontânea, faz comentários e posts divertidíssimos. E ainda vai além de algumas risadas, eu me identifico com o que ela escreve e consigo me enxergar nas situações que ela coloca. São coisas simples e verdadeiras o que ela posta, e nós sabemos que tudo que é simples como uma amizade e feito de coração como um pedaço de bolo, merece entrar na categoria de melhores coisas da vida. O blog que estou falando é... o Mari Just! É como eu disse, a Mari foi uma amiga que esteve presente aqui o ano todo, mesmo quando nem eu estava o/

 

clique na imagem acima

 

Se eu pudesse, Mari, lhe entregava um troféu LAKSJALKSJLAKJKL mas como me é impossível, expresso minha singela homenagem. Eu espero poder continuar acompanhando o Mari Just e todos os meus blogs queridos até o fim da blogosfera kkkkkkkkk³ 

Na página favoritos você vê o histórico de outros blogs que já tiveram seus destaques por lá. São blogs que também merecem muitos troféus!

 

E pra encerrar o último post do ano, uma rápida retrospectiva:

 

ESSE ANO EU

 

01. (  ) Caí na piscina de roupa e tudo.

02. (  ) Mudei da casa dos meus pais (Aleluia!).

03. (  ) Perdi alguém muito especial pra mim

04. (x) Me apaixonei , e me fudi' x.x

05. (  ) Conheci alguém que não conhecia pessoalmente

06. (  ) Adotei um novo animal de estimação

07. (  ) Tomei muitos porres e toda vez achava que ia morrer de dor de cabeça.

08. (x) Ri até chorar.

09. (x) Caí andando de bicicleta/patins/skate/etc/etc/etc.

10. (  ) Colei na prova.

11. (  ) Roubei um cigarro e saí correndo

12. (  ) Troquei meu nome 

13. (x) Escutei música no banho

14. (x) Atropelei alguém

15. (x) Atropelei eu mesma

16. (x) Pus o blog em hiatus 

17. (x) Dancei muito em uma festa 

18. (x) Fui flagrada rindo sozinha (eita maconha é terrível kkk)

19. (x) Aprendi a cozinhar. (mentira, só tentei)

20. (  ) Mudei o lay do blog incontáveis vezes

21. (  ) Deixei um comentário "oi, tudo bem? paassa lá no meu? beeijoo"

22. (x) Fui pra praia 

23  (  ) Aprendi a andar de skate

24. (x) Livrei um inseto que estava preso numa teia de aranha (quero que todas elas morram)

25. (  ) Tirei habilitação.

26. (x) Tive algum dia inesquecível no meio dos outros 364.   

27. (x) Me queimei no sol com a porcaria do protetor solar dentro da bolsa --'

28. (  ) Dormi na aula

29. (  ) Fiquei com catapora

30. (x) Me cortei

31. (x) Amaldiçoei toda minha existência desde a era dos espermatozóides e depois me arrependi porque no mesmo dia algo muito bom aconteceu.

32. (  ) Matei aula

33. (x) Conversei muito 

34. (  ) Me arrependi de alguma coisa que disse

35. (x) Fiz brigadeiro pra comer na panela

36. (x) Passei um dia só na base da pipoca e do algodão doce

37. (x) Passei um dia só na base do sorvete

38. (  ) Parei de fumar

39. (  ) Xinguei um carinha no trânsito

40. (x) Me arrependi de não ter feito algo

 

Quem quiser pode copiar a lista e marcar com o que fez ^^ 

ou então responder nos comentários completando a frase ESSE ANO EU... com apenas uma das sentenças acima!

Até o próximo post, no próximo ano, se Deus quiser. 

 

 ;* xD (:

 



Por Kelly s 13h32



18/12/2011 - Palavras voando com cerol


 

Uma vez já me chamaram de cafajesta. Sem motivo, lógico! Vê se pode... kkk²

Nesse caso era de bricadeira, mas acontece na vida de nos chamarem de coisas por aí. É horrível quando uma discussão vira agressão física, mas os insultos não são tão inofensivos assim. Quaisquer palavrinhas combinadas também conseguem atingir uma parte de nós que nem sequer enxergamos. E é uma parte sensível, fácil de ferir. Muita gente esconde, se puder. Eu nunca consegui isso. Basta alguém se virar pra mim com aqueles olhos de touro doido e gritar alguma coisa com aquela voz quase engasgada que vem do fundo das cordas vocais, faltando pouco para trincar os próprios dentes ao sair da boca "MAS VOCÊ É SURDA, NÃO SABE PENSAR? ACORDA!" que eu já passo a funcionar no piloto automático porque meu emocional já fugiu batido! Pense no funcionário dentro do cérebro com a camisa escrito EMOCIONAL, ele abandona seus painéis de controle e sai correndo porque as lágrimas estão prestes a inundar tudo. 

Quando eu era criança, meus pais não me batiam. Nunca recebi tapas nem vi uma cinta e essas coisas mas não quer dizer que eu cresci livre, sem nenhum tipo de repreensão. Até porque isso é impossível, né! Eles usavam mais os sermões pra me corrigir. Lembro de um dia, eu tinha oito anos e comprei uma sandália que não sei mais qual foi e por algum motivo o meu pai não curtiu muito. Eu disse "ah, não é você que vai usar, sou eu" dei de ombros e saí na maior kkkkk passaram uns minutos e meu pai veio e me deu o sermão do século. Nunca mais eu respondi daquele jeito! E cada vez que acontecia de receber um sermão todo explicativo, trabalhado nos detalhes da minha arte eu desejava muito que ele não tivesse falado tanto e só tivesse me batido um pouco. Hoje vejo que meus pais estavam absolutamente certos. Uma surra não ia me fazer enxergar que eu estava errada, talvez eu só ficasse revoltada. Bater em crianças nunca corrigiu ninguém. Houve uma época em que a minha vizinha do lado fazia um espetáculo sonoro todas as tardes. Tinha uma pré-adolescente na casa e eu era criança ainda, de uns seis anos. A mulher chegava do trabalho e batia na filha, porque a menina não lavou o cocô do cachorro ou porque encheu a casa de amigos... A surra que ela dava na garota era do tipo que chegava a doer em quem escutasse, a minha mãe até chorava ouvindo aquilo, depois meu pai ia lá e tentava falar com ela. Nós nos sentimos culpados de não ter denunciado. Essa garota cresceu assim na base da porrada. Não estudou direito, engravidou cedo, vocês sabem onde isso tudo leva, nenhum destino glamuroso. O que quero dizer aqui é que eu acho que alguns pais deveriam usar mais como instrumento a voz e as palavras, mas excluindo a parte perigosa, que são os insultos e ofenças. Palavras podem ser muito cortantes, nós sabemos disso. Mas ao menos uma conversa tem o efeito de instruir e não de destruir.   

 

 ;* xD (:

 



Por Kelly s 13h54



11/12/2011 - Entrevista de desemprego


 

Quantas vezes nessa vida você já passou por essa ocasião tão espetacular? Eu tive duas vezes essa honra inigualável... uma há dois anos e a outra semana passada. As coisas correram de forma muito parecida, apesar de os cargos serem diferentes. Agora acho que as entrevistas são sempre a mesma coisa. Antes de ir você cria expectativas sobre como vai ser o lugar e as pessoas, aí dá aquele medo de ser completamente diferente do que você pensou. Você fala pra alguém que tem uma entrevista e esse amigo ou parente já sai contando pra todo mundo como se você estivesse trabalhando. Mas você nem chegou perto de dizer ao amigo que já estava contratado não é? Mesma coisa acontece quando estamos conhecendo alguém e os outros pensam que já vai sair casamento.. por que tão apressados?? 

Falam pra você chegar num certo horário, por exemplo, 1h da tarde. Você simplesmente precisa chegar 1h da tarde, não importa se o transporte público está em greve e consequentemente há muito mais carros na rua, se os taxistas estão em greve, se os faxineiros estão em greve no meio da rua, se os semáforos estão em greve, não importa se você foi atropelado pelo Sebastian Vettel, se houve uma batida, engavetamento, se o poste caiu, se teve um terremoto... Não pode chegar 01:02, muito menos 01:05, se alguém chegou 12:55 ele não teve apenas uma vantagem de sete ou dez minutos sobre você, mas sim um milhão de anos luz. 

Enfim, você faz de tudo e chega na hora. A recepção diz que você deve aguardar pois quem vai te entrevistar ainda não chegou. Claro! Ele pode, né? Os pobres entrevistados que esperem, eles com certeza não têm outra entrevista daqui a uma hora. Realmente, eu não tinha outra entrevista naquele dia, mas aquela espera de quase uma hora foi muito estranha. Os empregados de lá ficam te olhando como se você fosse um abacaxi gigante. Todos tentam ser espontâneos, alguns conseguem, outros não, outros ficam parecendo uns malas... quando um dos candidatos consegue um entrosamento perfeito com alguém de lá, ele se sente o cavalo que corre na frente e dá pra ver o desespero e a inveja nos olhos dos outros. Por falar em olhos, o entrevistador chega e sempre bate o olho em alguém. O que será que ele pensa? Isso lembra aqueles lugares onde se escolhe o jantar enquanto ele ainda está vivo... A entrevista geralmente ocorre numa sala reservada, mas se for uma sala com janelas, todos vão olhar como se ao invés de janela fosse uma televisão ou um palco. Chega a sua vez e eles te pegam numas perguntas super estranhas tipo que animal você gostaria de ser. Por que? Por acaso querem contratar um chiuaua? Se querem te conhecer melhor, por que não perguntam simplesmente qual o seu álbum favorito do Aerosmith? 

Entrevistas são mesmo impagáveis! É diversão garantida. Mas deixando as piadinhas de lado, as entrevistas são importantes para ambas as partes se conhecerem. 

Alguém aí tem uma entrevista pra ir?   

 

 ;* xD (: 

 



Por Kelly s 14h29



04/12/2011 - Mas envenenadas...


 

"... Olhe, isso tudo é ilusão! Você sabe o que é ilusão? É algo que não é real e não é saudável." 


 

Será mesmo que moramos num mundo sem finais felizes? Ou isso não poderia ser assim? Já sentiu como se estivesse tudo errado? Eu já! E às vezes penso em como seria interessante viver feito um personagem de série, enfrentando muitos perigos e por mais que a situação seja difícil, no final de cada episódio eles podem respirar sabendo que salvaram o dia outra vez. 

Na série Once Upon A Time, o mundo como conhecemos foi criado pela maldição de uma bruxa que queria se vingar de seus oponentes sem matar ninguém, nem ferir, mas sim arrancando as lembranças de todos e deixando-os presos em uma nova vida, sem saber quem foram há muito tempo. A cidade de Storybrooke é como um mundo mágico submerso na realidade. O relógio de uma torre alta fica parado no tempo, misteriosamente não há grilos cantando à noite e nenhum habitante pode deixar a cidade. Todos eles foram personagens velhos conhecidos da nossa infância. Só há uma pessoa na cidade que entende os pequenos sinais. Henry tem dez anos e ele acredita que encontrando sua mãe biológica, ela pode trazer de volta os finais felizes. Emma foi a única que ficou de fora da maldição. Elaéfilhadabrancadeneve o/ portanto, Henry o neto. A própria Branca de Neve é uma professora, um tanto solitária, trabalha num hospital nas horas vagas. A dona Cinderela também aparece num dos episódios. Na versão do mundo real ela é uma pobre adolescente grávida. O Grilo Falante é um psicólogo. A prefeita é a mãe adotiva de Henry. (comentário desnecessário: pra mim ela é a cara da Eliana, só que morena! Que medo!) Ela foi a bruxa doida que lançou a maldição. Nem mesmo ela parece lembrar-se do que houve, mas tem na casa dela uma macieira de dar inveja (que frutinhas mais duvidosas kkkkkkk parei -q). Nessa série podemos ter duas versões de todos os personagens e muitas vezes algumas histórias diferentes do que conhecíamos. É como se mostrassem o que acontecia ainda antes do "era uma vez" e fosse muito além do "e foram felizes para sempre".

 

Por que acha que é tão importante que a sua teoria do conto de fadas seja real?

Tudo isto não pode ser como é.

 

E você, imagina que se esse mundo não fosse o real e todas essas injustiças fossem criação de uma bruxa (teria que ser uma bruxa muito doida insana), quem você teria sido de verdade? Um gladiador, o coelhinho da páscoa, Pocahontas, um transformer, whatever... e se houvesse essa inversão, o real sendo fantasia e as fantasias sendo reais seria no mínimo curioso, não? Talvez as coisas não mudassem tanto assim. Na ficção a garotinha pega um atalho e encontra o lobo, na vida real ela encontraria um pedófilo. A bruxa horrível com verruga no nariz é o que mora dentro dessas pessoas hipócritas que mentem traem e roubam toda hora até de quem não tem nada pra roubar. Já as pessoas nobres e solidárias são como fadas. O bobos da corte também existem (estão lá na televisão). A única diferença é que na vida não temos apenas uma opção de final feliz para perseguir, afinal quantos finais felizes já tivemos? Aquela pasta de fotos está cheia deles e nenhuma maçã envenenada pode nos tirar disso!    

 

 (: xD ;*

 



Por Kelly s 16h08



 



Photobucket

 





Arquivo
01/09/2012 30/09/2012
01/08/2012 31/08/2012
01/07/2012 31/07/2012
01/06/2012 30/06/2012
01/05/2012 31/05/2012
01/04/2012 30/04/2012
01/03/2012 31/03/2012
01/02/2012 29/02/2012
01/01/2012 31/01/2012
01/12/2011 31/12/2011



Todos os direitos
reservados
___________