27/05/2012 - Lingerie pesadelo


 

OBS: O TEXTO DA SEMANA PASSADA ERA SOBRE O QUE MESMO? MATURIDADE? ISSO NÃO EXISTE AQUI. Por falar nisso, eu ainda não mudei a minha idade ali no canto, que fail.

 

É domingo, eu em casa com qualquer jeans folgado e uma camiseta rosa de joaninhas... Assistindo Os Sem Floresta (eu adoro, adoro*-*), comendo pipoca, e de repente alguém fala "Vamos sair rapidão?" eu digo ok e a pessoa começa a esperar que eu me arrume.

Espera, espera...

Espera, espera, espera...

VAMOS KELLY! NÃO É FESTA, ERA SÓ PRA IR ALI NA PADARIAA!

Pois é. Eu costumo pensar frequentemente nisso, há pessoas que levam dois minutos para se trocar e outras que levam duas horas. Não preciso dizer em que grupo estou. 

As pessoas me arrancam da minha extrema preguiça e ainda reclamam porque eu não saí na rua com aquela roupa mesmo. Tem gente que é prático, só levanta do sofá e sai do jeito que estiver, mas comigo nunca foi assim! Jeans velho e folgado? Camiseta e chinelo? Fico assim em casa mas na rua JAMAIS, certo?

Até minha mãe fala, se a casa pegar fogo à noite, você vai conseguir sair na rua de pijama? 

Bom eu tenho uma vaidade muito louca, não dá pra negar, mas em casos assim eu acho que abriria uma exceção. Ainda que com muita dificuldade. Sou daquelas que fica viajando em coisas como:

-Se eu for ganhar um bebê e estiver fazendo escova no cabelo, eu não vou sair do salão com metade do cabelo molhado e metade seca, o parto pode esperar!

-Se houvesse um seminário na escola e no intervalo antes dessa aula eu manchasse minha roupa com molho ou qualquer coisa nojenta eu iria embora e ficaria sem nota. 

-Se David Giuntoli quisesse entrar no meu banheiro e eu estivesse usando touca de banho e máscara lilás no rosto eu o botava pra fora. Ele podia pensar que eu sou um dos monstros de Grimm.

-A qualidade da imagem da web cam é péssima, todo mundo sai meio feio. Se aquele menino que estou a fim me pede liga a web aí eu digo nãaaao amr, ta quebrada ç.ç

-Se as minhas unhas estivessem com o esmalte descascado e horroroso e eu precisasse ir urgentemente a um lugar importante, eu compraria luvas! Nem que fosse o último par do planeta e fosse do preço de um carro. Eu usaria mesmo que estivesse fazendo 40º.

-Se um namorado insinuasse que estou GORDA NA FRENTE DOS MEUS AMIGOS eu terminava.

-Se esse namorado viesse falar comigo pedindo desculpas e eu tivesse chupado aquele pirulito que deixa a boca azul, eu não ia falar com ele enquanto não tirasse o azulão dos lábios e dos dentes.

-Se tudo desabasse eu ia me sentir meio mal por ter saído de casa embarangada.

-Se um repórter viesse falar comigo sobre como eu saí viva de tal desastre eu correria dele pra não sair no jornal daquele jeito.

-Se eu estivesse na mira de um revólver, pediria ao bandido no rosto não champs! Sabe como é, vai ficar cicatriz depois...

-Se eu marcasse uma festa de aniversário e no dia nascesse uma daquelas espinhas bem zuadas na ponta do meu nariz... BAILE DE MÁSCARA GALERE, SE VIREM PRA COMPRAR UMA!

-Se eu estivesse num pub no UK e depois de horas num papo delícia com Dougie Poynter ele falasse "vamos lá pra minha humilde residência qtal?" e eu lembrasse que estou usando uma lingerie pavorosa que foi presente da minha bisavó eu diria "foi mal Dougie, fica pra próxima!"

Medo de situações desse tipo já me renderam pesadelos muito mais assustadores e estressantes do que aqueles sonhos bobos com morte, sangue e essas besteirinhas.

Tudo isso foi na base do "se" porque é claro que nunca aconteceram coisas assim. Eu me pergunto se isso é vaidade ou preocupação com o que os outros pensam. De qualquer jeito, é uma espécie de cuidado com a imagem, é tudo misturado. E não sou a única, vejo em filmes e na vida real como todo mundo é tão vaidoso. É vaidade na escola, na rua, no trabalho, nos blogs, nas redes sociais, no MSN, no Youtube... Eu diria que virtualmente, em alguns casos, a vaidade traz os números como aliados. "Meu vídeo teve 342567890 views", "O meu blog tem 800mil visitantes todo dia, é mais badalado que o metrô Jabaquara!", nas redes sociais tudo que é novidade passa a impressão que a pessoa é mais descolada que as outras "Eu não uso mais Facebook, uso *outraredegringaqualquer* onde não tem brasileiros ainda", e no MSN 80% das frases são digitadas com o único propósito de causar invejinha nos outros. Aliás, outra forma de vaidade virtual é colocar uma foto no MSN pra receber um elogio e depois dizer "ah, imagina, eu tirei essa foto quando acordei hoje"... Não é crítica, nem reclamação. Não esqueça que eu também estou nesse barco, que não é qualquer barco e sim um super navio.  

A pessoa querer parecer melhor do que é, é uma espécie de mentira sim. Mas eu não vou recriminar, não quero deixar de me cuidar e portanto não vou concluir o post definindo que vaidade é um pecado mortal. Não vejo mal num batom legal que te anima, num esmalte que te deixa com mãos de boneca, no cara que usa o subnick do MSN pra se vangloriar, cuidar da aparência e usar maquiagem para cobrir imperfeições como olheiras ou manchas de sol. Enquanto permanece no campo da mentira inocente que não machuca ninguém, eu não vejo problema. 

Ficar mostrando que ganhou awards também é outra vaidade bloguística{? mas eu vou mostrar mesmo assim:

 

 

Obrigada Fernanda e obrigada a todos que me aturam semanalmente com toda essa vaidade que eu tenho haha bjobjo boa semana!

 



Por Kelly às 12h57



20/05/2012 - Aniversário aumenta idade mental?


 

Você ri de coisas que adultos não movem um músculo da face pra mostrar expressão.

Você teima por objetivos que crianças já saberiam abrir mão.

Você chora quando gritam com outras pessoas porque sente pena,

E chora quando gritam com você porque se sente pequena.

 

Mas o mundo não te acha pequena de maneira alguma.

Você e seus sonhos frágeis feito espuma,

Você e seus objetos piscantes, esmaltes de neon,

Seus ursinhos de pelúcia e cores fortes no batom...

 

Será que sabe mesmo o que você quer ser?

Com 23 algumas já tinham três filhos e mais um pra nascer.

E você não toma conta nem do celular,

Não enxerga por onde começar a mudar.

 

A criança que mora em sua mente não vai nunca morrer.

É muito bom, mas não deixe que ela atrapalhe você.

Com 23 há quem sonhe ser presidente,

E você só não quer deixar de ser adolescente.

 

\ooooooooooo/

Versos meia-boca que ~elaborei~ enquanto tomava banho.

Mas enfim, é isso! Essa é minha nova idade desde ontem, 23! Estou muito feliz por mais um ano e pelo final do inferno astral hahah se é que existe tal coisa! 

 

 

Eu não sou muito de acreditar nessas paradas esotéricas, mas não dá pra negar que aconteceram algumas coincidências. Coisas pequenas que conseguem aborrecer a pessoa aqui. Por exemplo:

Tentar fazer o download do mesmo filme três benditas vezes e sempre dar alguma coisa errado. Uma vez falta luz, outra vez ele se interrompe sozinho... Só ontem que eu consegui *-* era o filme Aprendiz de Vampiro.

Levar pingo de telhado no meio da cabeça >.< isso é muito ruim

Receber a notícia que uma das séries que mais gosto pode ser cancelada

Pegar alguma gripe ou resfriado bem no dia que precisava fazer alguma coisa

Quebrar um objeto que papi querido acabou de consertar pra mim

Pensar que desligou o telefone e na verdade ele ainda está ligado. Daí falo alguma besteira e a pessoa ainda escuta o/

Recorde de passeios em fins de semana consecutivos cancelados

O filme que você quer ver no cinema já saiu de cartaz

Os filmes que você nunca quer ver estão eternamente lá

Queria comprar uma calça e não achei do jeito que eu queria. Comprei outra, torrei meu dinheiro todo e dias depois acho a calça desejada. Próximo capítulo: Cartão de crédito, me salve!

Não encontrava ninguém na rua no dia que eu saía vestida pra matar, e adivinhe, se eu saísse mulambenta todos estariam lá

Programação horrível na tv quando não tem o que fazer. Programação incrível quando há pilhas de tarefas.

Todas as pessoas do mundo estão no MSN e quem você quer falar por acaso está? Lógico que não.

Dá um espirro super alto em casa, só de zuera, e quando vai ver, o vizinho gato está na varanda dele observando.

 

Acho que já chega de tópicos sobre coisas aborrecedoras, ou vocês vão acabar se aborrecendo também! Deixando agora as brincadeiras de lado, eu sei que nada disso importa muito e que eu devo mesmo agradecer por tudo, pedir a Deus que nos abençoe e que me dê um pouco mais de juízo. É, aqueles versos acima não mentem. Eu me sinto mesmo um tanto imatura. Já aconteceu de eu visitar um blog e ler um texto maravilhoso com pensamentos e constatações que só me ocorreram anteontem ou em qualquer período depois dos vinte. Surpresa minha quando vejo que quem escreveu tem treze. Puta que pariu, é uma "criança" mais madura do que eu jamais serei, pensando em coisas que eu não descobriria sozinha nem aos cinquenta.

Mas esse post era pra ser de comemoração e não puxão de orelha. Sou meio criança sim \eeee/ 

Às vezes eu até me orgulho em dizer que tenho bom humor e são grandes as chances de você me encontrar sempre daquele jeito. Alegre e quase beirando a infantilidade assustadora. Apesar de ainda tímida. Quem me conhece e já quebrou as barreiras da timidez sabe que é assim sim. E não pretendo mudar de hoje pra amanhã, até porque, qualquer mudança de personalidade que seja planejada, controlada ou forçada tem grandes chances de ser desastrada. Não quero deixar de ser feliz no meio da simplicidade, ficar bêbada de tanto comer doces e depois gastar a energia numa briga de almofada sem sentido, curtir uma montanha-russa, ou qualquer coisa que ainda "cheira" a adolescente. Só não posso deixar que seja um problema, nada me impede de continuar sendo como sou e ser responsável também quando tiver de ser.

 

Teste de idade mental: http://crispassinato.wordpress.com/2008/10/12/teste-e-saiba-a-sua-idade-mental/

A minha deu 37, será que ta certo? Se estiver,então meu post todo pode ser ignorado e na verdade eu sou amadurecida e sensata... oh que tragédia...

 



Por Kelly às 09h22



13/05/2012 - Egoísmo?


 

Oi

Oi, tudo bem?

Tudo! Sabe o que ganhei de presente ontem? Os livros da série House Of Night.

Legal! Mas você já tinha lido um, não é?

Isso, só um, e agora posso continuar.

Hm... me empresta o primeiro, já que você já leu?

 

Primeiro pensamento que passa na cabeça: >.< eu tava com medo desse momento.

Segundo pensamento: Não quero deixar meu bebê com ela(e)

Resposta após 0,5 segundos: tudo bem, amanhã eu trago.

 

Às vezes eu penso que tenho mais ciúme de objetos do que de pessoas. Não é bem um ciúme, é aquele medo meio bobo como se eu estivesse prestes a fazer algo muito arriscado, como se eu fosse me tornar a vítima de um estelionatário que nunca mais vai devolver aquilo que entreguei em suas mãos na maior inocência. É muito exagero, eu sei. Preciso me tratar! Até porque, de vez em quando também acontece de eu querer algo emprestado de alguém e se eu nunca emprestasse nada aos meus amigos e colegas, eles também não me emprestariam. Mas esse receio não se criou sem motivos, foi ouvindo os casos de outras pessoas e também aprendendo com meus próprios rolos. Sabe quando você tem um amigo que precisa de uma parada qualquer e você tem, fala que vai emprestar, leva rapidinho e a pessoa simplesmente esquece depois? Baita consideração hein. E as desculpas são as mais variadas, de ambos os lados.

 

•~•Desculpas de quem não quer emprestar•~•

 

A mais sacada: Ah, é que isso também não é meu, eu que peguei emprestado.

A mais esfarrapada: Eu emprestaria, mas é que vou precisar

A mais fácil: Empresto sim. Dia seguinte: ah, esqueci de trazer.

A mais idiota: Você não ia gostar desse livro, o protagonista é muito feio.

A mais infantil: Meu pai não deixa que eu empreste minhas coisas. 

A mais escalafobética: A minha câmera ta possuída, se você não se cuidar ela vai te filmar enquanto você toma banho, ou faz cocô, ou dorme e vai jogar direto na internet.

A mais estúpida: Nada, só finge que não ouviu o pedido e sai dizendo que vai perder o trem.

A mais honesta: Não.

Essa última é muito difícil de receber, ninguém que eu conheço falaria isso.

 

•~•Desculpas de quem não quer devolver•~•

 

Não sei onde deixei, vou procurar.

Puxa esqueci de novo! Amanhã eu trago (sendo que amanhã é sábado e vocês não vão se ver) 

O que? Tem certeza que deixou isso comigo?

Emprestei a lanterna laranja de neon recarregável que tem canivete, caneta, compartimento para colocar band-aid e calculadora pro meu namorado que foi acampar.

Rasguei o seu pôster do Paramore, foi sem querer, desculpa.

Está aqui, deculpa a demora (e na verdade, devolveu outra coisa que não tinha nada a ver)

Está aqui, deculpa a demora (e devolve o objeto completamente arranhado, rasgado, ou até sujo, com mancha de café com leite e molho de tomate)

Fui roubado, levaram o seu troço junto.

Não, você não me emprestou isso sua doida essa pulseira já era minha! (mas a jóia tem as SUAS iniciais, por que será?)

Essa não é sua caneta. Essa eu achei no pátio, jogada.

 

Caras de pau ¬¬ gente assim não merece meu respeito.

Conheço uma pessoa que perde tudo que emprestamos a ela. Geralmente é qualquer coisa simples e por isso ninguém nunca a acusou de verdade ou teve brigas sérias. Não se sabe ao certo se ela realmente esquece tudo ou se faz isso para não devolver. Se ela esquece mesmo onde coloca todos os objetos emprestados, será que vai devolver meu carro que ela levou pra praia?

Brincadeira, eu não emprestaria meu carro, o meu pai me mata dramaticamente \o/

Não vou dizer que detesto emprestar as coisas e que sou egoísta. Em minha própria defesa, eu diria que isso é um elevado estimo por meus queridos objetos pessoais adquiridos ao longo da minha existência. Eu até gosto quando empresto algo e ajudo um amigo que eu considero e essa pessoa devolve em tempo razoável, sem que eu precise cobrar, e devolve inteiro, do mesmo jeito que foi. Acho o máximo! Quando isso acontece, eu recupero a fé nas pessoas *-* 

Mas isso tudo é errado, sabe. Tanto da parte de quem é muito dramático na hora de emprestar algo quanto quem quer se apoderar das coisas dos outros. É uma espécie de roubo consentido, não? Devia dar cadeia. O que eu quero dizer é que as "coisas" na verdade não importam. É como dizem, caixão não tem gavetas. Precisam criar frases como essa, de certo impacto, pra gente perceber que não adianta se agarrar aos objetos, no final de tudo eles serão inúteis. Grande parte dos nossos bens materiais são para facilitar a vida, mas a vida é o que mesmo? Um espaço curto de tempo entre o nascimento e a morte, fora desse espaço o que é material não vale nada, outras pessoas vão ficar com aquelas coisas de qualquer jeito.  

Se tem alguma coisa pra emprestar ou devolver, faça isso. Mas não, não é pra doar tudo que você tem, você está vivo ainda (eee). Pode criar umas políticas organizacionais pra definir a quem você empresta coisas. Eu só empreso pra pessoas que sei que vão devolver, em quem eu confio, e quem eu gosto muito. Se uma pessoa nem me pedir nada emprestado e eu quiser emprestar mesmo assim, deve ser que eu amo essa pessoa!

 



Por Kelly às 12h55



06/05/2012 - Cara de planta? Oq?


 

Não tem hora, não tem dia, não tem lugar, todo mundo pode ser vítima de uma situação estranha. Falar sem pensar, rir quando não podia, agir de modo no mínimo incoerente, eu confesso que tudo isso já aconteceu comigo! E olha que eu sempre levantei a bandeira da paz, não gosto de ficar atacando ninguém com indiretas. Quando isso acontece é porque eu falo sem pensar, às vezes sou capaz de dar uma indireta tão genialmente escrota mas nem lembrava do caso de uma fulana prima de valciclana que ta bem ali do meu lado. Por exemplo o dia que eu conversava com uma amiga sobre agiotas e disse que isso é a maior burrice da vida de alguém pegar dinheiro com bandido, quem faz isso tem é que se ferrar mesmo. E vou lembrar exatamente no segundo que termino de falar que a mãe dela e irmãs dela já pegaram grana com agiota. E a cara que ela ficou? E a cara que eu fiquei? Cara de planta, como dizia um professor que tive, é a cara de quem quer fugir e se esconder pra nunca mais ser encontrado porque fez algo tão estúpido que dá vontade de ir morrendo aos poucos cada vez que lembrar e daí virar uma planta que nunca mais vai falar nem fazer nada. Ainda bem que os meus amigos devem entender que eu tenho um idiotismo galopante e assim ninguém nunca me deu uns tapas depois de tanta imbecilidade. 

Teve a situação da planta funerária uns anos atrás que eu penso até hoje com profundos arrependimentos. Eu não era mais criança. Fui com minha mãe e dois primos ao enterro de um tio distante que eu não via muito. Ficamos horas lá no velório e fomos pro lado de fora porque crianças ficam impacientes, mas eu não era mais criança, devia ter uns 15 já. Ficamos brincando e rindo muito alto lá fora, enquanto que havia pessoas sofrendo muito ali em volta do caixão. Levei uns minutos pra perceber isso sozinha e parar de brincar.

Virtualmente também acontece muito, planta virtual é comigo. 

"O que? Mas quem é essa pessoa esquisitíssima e brega querendo me adicionar?" Clica em Não, obrigada baby.

Dia seguinte, na sala de aula, comenta com sua melhor amiga "tem uma criatura tão medonha querendo me adicionar no Face que eu precisei minimizar a janela por uns segundos pra me recuperar do susto". Então ela dá o golpe final: "Por falar nisso, aquela minha prima que você foi na festa de quinze anos, lembra? Ela fica me dizendo que você não quer adicionar ela, por que???"

Ah, meu bem... Será que é porque não lembrava de prima nenhuma?  

Claro que não respondo assim porque aí sim levaria uns tapas.

"Sua prima me adicionou? Não chegou nada lá, depois eu vejo melhor rerere" ri muito sem graça.

Preciso aprender a pensar como faz isso? Pensar pra falar. Eu já fui pior na época do colegial, é tanto que os exemplos citados até agora são desse tempo. Hoje em dia, depois de muita cara de planta e sofrimento alheio acho que já fiz bastante fotossíntese. Mas ainda não estou livre. Ainda acontecem algumas escorregadas, tipo... Plantinhas instantâneas envolvendo pessoas indefesas. 

Deixei a irmã caçula de uma amiga minha cair. É fato, não confie em mim pra segurar bebê.

Uma outra amiga minha estava com um bebê no colo, irmão dela também, e levou horas pra fazer dormir. Ela falava sobre lojas eu acho e de repente ela solta "pinto frio" EU RI TÃO ALTO que acordou o moleque e a casa toda. 

E ainda falando nisso, o que pode ser um aumentativo bem louco de "pinta", sem ser "pintona"? É, eu falei isso quando estava no dentista me referindo a uma pinta no dente. 

Plantinhas instantâneas maléficas, SAIAM DA MINHA VIDA!

Criei um manualzinho básico ao longo da minha carreira de planta. Vejamos:

• Evitar dizer uma frase que comece com "eu odeio quem usa..." Odeio quem usa Melissa aranha, ODEIO QUEM TEM BLOG, vai que amanhã sua mãe compra uma Melissa e também faz um blog, vai odiá-la por isso?

• Pensar bem antes de comentar com os amigos que acha determinado tipo de look ridículo. A menos que seja horrível mesmo porque se não... certamente um amigo seu acha bonito justamente aquilo que você desdenhou energicamente.   

• Tomar muito cuidado com certas combinações de palavras.

• Pensar bem antes de julgar as atitudes dos outros.

• Se não tiver o que falar, ficar em silêncio é melhor do que falar uma baboseira histórica.

• E essa é uma regra que vale pra mim, mas não sei se todos precisam lembrar disso: rir mais baixo! A minha risada é um estouro, quando eu vou ver, o escândalo já foi feito u.u

 

Então é isso. Cuidado e paciência com essas pessoas que nem eu. Se é que existe alguém que nem eu, plantinhas...


 



Por Kelly às 13h09



 



Photobucket

 





Arquivo
01/09/2012 30/09/2012
01/08/2012 31/08/2012
01/07/2012 31/07/2012
01/06/2012 30/06/2012
01/05/2012 31/05/2012
01/04/2012 30/04/2012
01/03/2012 31/03/2012
01/02/2012 29/02/2012
01/01/2012 31/01/2012
01/12/2011 31/12/2011



Todos os direitos
reservados ©
___________